19/09/17

AVISO A RESPEITO DA PRODUÇÃO "BRASIL, A ÚLTIMA CRUZADA"

Caros leitores, 

com alegria um amigo brasileiro compartilhou um vídeo intitulado "Brasil, a Última Cruzada". Já tinha visto publicidade a esta produção brasileira; pelas caras desconfiei: "certamente, mais do mesmo". Mas, aceitei a oferta, entrei na página de divulgação, acedi ao vídeo.

Túmulo de D. Afonso Henriques
(Igreja do Mosteiro de Sta. Cruz - Coimbra)

O vídeo tem não poucos problemas de leitura histórica, ficaram-se pelas limitações das obras integralistas, Carlistas, e até herança da produção liberal do séc. XIX, etc.; do guião é notória a selectividade e disposição ajustadas à actual agenda da ala militada da "hispanidad". Digo isto muito resumidamente, pois tenho o dito vídeo pausado, ainda por terminar.

Aquilo que a propaganda anunciou como intenção, a verdadeira história do Brasil, é mais que boa, é URGENTE; fomos nós seus actuais iniciadores, apresentando os pontos críticos bebidos nas fontes; não temos compromissos ideológicos, não estamos comprometidos com anteriores palestras públicas, nem com obras publicadas, nem com uma legião de seguidores que nos aplaudiram e aos quais receamos desagradar, não militamos movimentos nem movimentações: somos isentos, e apenas dependentes da Verdade, e do que mandou e ensinou Deus por boca da Igreja Católica (mundo fora do qual Portugal não é). Mas, na propaganda, o nome é o da INTENÇÃO, ou melhor ainda, é o nome da coisa pela qual a Causa pretende ser conhecida.

Por isto, e por muitíssimo mais, pois conhecemos alguns dos erros do ideário, recomendamos que este vídeo, tal como outros da mesma série, não sejam acreditados, por mais cristãos e isentos que possam PARECER. Este aviso não atribui qualquer culpabilidade aos intervenientes ou à agenda envolvida.

O ano de 2017 tem sido para Portugal um manancial de confusão, onde pela cara do bem tem o erro avançado juntamente, os dois tomando raízes conjuntas. Não temos tempo nem gente para fazer um trabalho de correcção de maior impactos e abrangência; provavelmente restará a "sobrevivência em escala ainda mais reduzida".

Deus nos acuda.

Pelas 5 Chagas de Nosso Senhor,
Pedro Oliveira.

18/09/17

NOVAS REVELAÇÔES SOBRE OLAVO DE CARVALHO!?

Caros leitores,

aqui não costumamos publicar nada de Olavo de Carvalho, o que não significa falta de reconhecimento a várias coisas que diz e sintetiza, como ninguém. Contudo, temos especial cautela com aquele esquecido princípio de que o erro mais perigoso é o que tem maior parte de verdade.


Ontem, foi publicada uma carta aberta de uma das filhas de Olavo de Carvalho (Heloísa de Carvalho Martins Arribas), e houve hesitação em trazê-la aqui: porque pode não ser esta a melhor forma da filha enfrentar o pai (é certo que este poderá ser já um meio desesperado), e porque devemos dar benefício da dúvida a Olavo de Carvalho. Há que ter atenção; pois alguns dos acontecimentos foram num passado menos recente, e Olavo alega haver por parte de Heloísa antecedentes de psicologia clínica...

Olavo de Carvalho reagiu dizendo não acreditar que a carta não estava escrita pela filha. Contudo, Heloísa publicou a carta no seu mural de Facebook.

Enfim... é com esta prudência necessária que vos deixamos a carta:

CARTA ABERTA A OLAVO DE CARVALHO, MEU PAI

"Estou escrevendo essa carta aberta por que você só sabe ficar xingando daí dos Estados Unidos, já que nunca teve a decência de enfrentar as pessoas cara a cara. E, quando digo enfrentar, é encarar que tudo o que falo sobre sua vida é a mais pura verdade. Não adianta mais o seu hábito de criar medo nas pessoas, o que fez com que seus filhos e esposas não abrissem a boca nem mesmo para Deus. Sempre foi sua tática chamar os outros daquilo que você é, e depois se sair de vítima quando é desmascarado ou ficar ironizando como uma forma de mascarar a verdade.

11/09/17

SANTANDER LEVOU CRIME AO BRASIL


O Grupo Santander organizou no Brasil uma exposição em homenagem à DIVERSIDADE, onde abundaram obras blasfemas, a inter-religiosidade, a pedofilia, transgénero, homossexualismo, zoofilia etc.. Esteve aberto ao público, inclusivamente a crianças.

"Há pouco tinha crianças olhando essa "arte" escarnecendo de Cristo", diz alguém; e outros dizem outras tantas coisas igualmente acertadas, como um ao ver o quadro da "Criança Viada" [criança gay]!

Disse o  próprio Prefeito da cidade de Porto Alegre, cidade onde ocorreu a chacina: "tinha imagens de zoofilia e pedofilia". Tinha, porque entretanto o Grupo Santander viu-se forçado a encerrar a criminosa ofensiva, por alguns dita "exposição".

Muitos dos conservadores brasileiros já se manifestaram cancelar suas contas bancárias, e pedem para que ninguém escolha este banco.

Santander .... volta para casa!

PLATAFORMA ASCENDENS (Facebook)


O blog ASCENDENS tem uma Página no Facebook onde simplesmente são depositados ao público uma selecção de artigos: inicialmente só artigos ASCENDENS, depois, gradualmente os dos amigos VERITATIS, FIDELISSIMUS e SANTO ZELO. Tem mais de 2500 publicações, e existe desde 2012.

10/09/17

RESUMO DA ILUMINISTA NOMENCLATURA "ABSOLUTISMO" (I)

Juan Prada
Alguns dias antes da publicação completa do artigo "El Legado de Lutero", troquei rápida informação com o seu autor Juan Manuel de Prada. Logo depois o artigo foi publicado na íntegra (na página de Facebook o autor tinha perviamente publicado duas metades do artigo, uma após a outra). Portugueses (na melhor das hipóteses, distraídos) que nunca divulgaram bons textos dos nossos grandes nomes do anti-liberalismo e anti-maçonaria (Fr. Fortunato de S. Boaventura, Pe. Agostinho de Macedo, Pe. Alvito de Miranda, etc.) desataram a difundir o malabarístico artigo, o qual tinham recebido por mail (correspondendo a algum pedido de divulgação?); estava a coisa muito organizada, que no espaço de dois ou três dias já várias páginas tradicionalistas de língua espanhola tinham feito divulgação; na associação Causa Tradicionalista houve gente bastante empenhada e animada, que por todo o lado difundiu (como se de água para o maior dos desertos se tratasse)! Mas... para que tão enorme fim todas estas forças convergiram, e tão especialmente? Com grande artifício e linguagem cativante o artigo apenas tenta fazer ponte entre o "absolutismo" e o Luteranismo; certamente não para fazer ver o quão mau é o Luteranismo... [se tiver tempo e ânimo, e achar que vale ainda a pena, tentarei fazer uma análise ao artigo em questão, e darei o contexto em que tal obra nasceu]

Que tinha eu falado àquele autor? Apresentei-lhe em caixa de comentários alguns factos históricos portugueses, suficientes para fazer ver que a palavra e conceito "absolutismo" não são historicamente fiáveis etc., e dei boa sugestão que lhe permitiria nisso melhorar o artigo sem ter que retirar coisa alguma ao texto. Com um público que com os livros comprados ao autor seguem, Juan Manuel de Prada terá tido motivos redobrados para dar a reposta que deu, e não fazer melhoria ao artigo.

DR. Miguel Ayuso
Ontem revimos um vídeo de um outro espanhol agora mui recrutado na tentativa de maquiar a associação Causa Tradicionalista; seu nome: Miguel Ayuso. Especificamente nos pontos em que o Carlismo discorda da Tradição lusa, fiquei com a sensação de que o malabarismo talvez seja um talento espanhol. Com as boas e certas afirmações de Miguel Ayuso há também de outra coisa, portanto. O que diz ser o "absolutismo"? Em suma, responde mais ou menos que é tudo aquilo que os Carlistas consideravam mau, e atribuível na época! [outro assunto que merece oferecimento nosso].

Antes de mais, e para evitar que estas palavras sejam mal aproveitadas, fica já esclarecido que este contar de factos não pretende as pessoas das duas figuras públicas espanholas (saudações cordeais para ambos); é sim uma defesa pátria à qual estamos obrigados. Está em causa a Tradição lusa, e a verdade que nos foi legada. O assunto nem sequer é da responsabilidade de autores e palestrantes, mas é um problema mais abrangente que lhes escapa, que nos escapa. Por outro lado, como os leitores mais atentos sabem, muito antes de aparecerem este tipo de associações em Portugal, já cá andávamos nós; e por outro lado o Tradicionalismo não é um movimento (como julga a mente modernista), mas antes de mais um pressuposto e princípio (houve outros espanhóis que bem escreveram e definiram "tradicionalismo"). Aos anos que fazemos a denúncia e desmistificação do conceito e palavra "absolutismo", criação primeira dos ciclos Iluministas-liberais-maçónicos; denúncia esta que irrita profundamente a linha tradicionalista espanhola, a qual adoptou também o conceito/palavra. Quem nos tem lido sabe bem que nunca defendemos o "absolutismo", tanto que defendemos ser isso apenas um slogan, e que nem os que em Portugal se diziam "absolutista" tomaram a palavra por coisas séria. Disto falarei mais à frente.

Como se pode ler ao longo deste blog, quando falo de Espanha não tão agradavelmente, é apenas no que toca a corrigir interpretações menos correctas que lesam Portugal injustamente, e não contribuem da melhor forma para a verdade histórica. Essa é uma OBRIGAÇÃO; não é facultativo aos portugueses que seguem o mandamento de "honrar pai e mãe, e outros legítimos superiores" (do qual por extensão se retira o dever pátrio); contudo, acontece que são raros os que se encontram preparados nas matérias consideradas. Mais ainda, e porque são coisas sérias, apenas opero quando tenho a certeza, e estou seguro em provas (ex: isso mesmo faço no vídeo LIVROS II (parte A), o qual publiquei a 30/08/2017, ao apresentar o segundo livro, e sei que a exposição de provas não agradou aos tradicionalistas espanhóis, aos quais conheço de um modo geral - nem houve motivos para grande agrado).

(a continuar)

05/09/17

DECLARAÇÃO A RESPEITO DO MOVIMENTO "NOVA PORTUGALIDADE"


DECLARAÇÃO A RESPEITO DO MOVIMENTO
"NOVA PORTUGALIDADE"

A 23 de Fevereiro de 2016, no Facebook foi criada uma página que se dá pelo nome de "Nova Portugalidade".

Depois de examinadas as várias publicações desse "movimento", vendo ali temas aliciantes e bons misturados com o erro e a má doutrina, e vendo que até vários portugueses e brasileiros que se dizem "tradicionalistas" andam já amigados com tal movimento, cabe-nos por dever alertar e declarar:

- O "movimento" é liberal e modernista, embora que elogioso de uma selecção de antigos feitos lusos;

- Tem poder de persuasão perante o público conservador, uma vez que está impregnado de várias imagens e textos que apelam à grandiosidade da Civilização Lusa;

- O blog ASCENDENS não tem qualquer relação com o "movimento" Nova Portugalidade, do qual recomenda o afastamento, principalmente aos que se dizem "tradicionalistas".

Recordamos que, já outra declaração parecida houve, relativamente à associação chamada "Causa Tradicionalista".

Por agora é tudo.

Do responsável pelo blog ASCENDENS,
Pedro Oliveira.

04/09/17

31/08/17

LIVROS II - PEDRO OLIVEIRA

Seria uma perca não publicar aqui este vídeo LIVROS II


(continuação, 2ª parte)

29/08/17

RESTAURO - Capela de S. João Baptista

Vídeo sobre o restauro da capela do Divino Espírito Santo e São João Baptistas (na Igreja de S. Roque - Lisboa). Este artigo estava já editado por nós noutra plataforma de vídeos, e agora passou também para a do Youtube:

18/08/17

YOUTUBE - CANAL pessoal DO PEDRO OLIVEIRA

O responsável do blog ASCENDENS, eu mesmo, abri um canal no Youtube. A decisão surgiu depois de ter feito um vídeo para fins pessoais, mas que foi acidentalmente deixado aberto ao público. Está tudo explicado no segundo vídeo hoje lançado. Eis o Canal.

02/08/17

VISITAR PORTUGAL - Campo Maior (X)

(anterior, Lamego)

O socialismo no sul de Portugal foi impondo lento esvaziamento das coisas que lhe incomodavam; não usando de declaradas chacinas, Campo Maior foi levado das comemorações do seu Orago S. João para a "Festa do Povo"... O processo foi gradual; a custo da promoção dos "valores", o novo e falso conceito de "cultura", consequente evolução da ideologia da "separação da Igreja e do Estado", sorridente jogo politiquista, e outras mais gentis artes do Demo, esvaziaram a festa ao Santo, sem que muitos se dessem conta, e sem que muitos mais soubessem sistematizar os argumentos adequados. Processo lento, portanto, que ameaça bastantes outras cidades, vilas e aldeias.

Esta facada foi dada onde? Que terra é Campos Maior? Este modelo anticivilizacional quer vingar na terra de Santa Beatriz da Silva (onde também é cultuada; ela que nos Valha).



Se os Senhores Bispos não voltam aos antigos manuais para entender, não mais poderão fazer que proferir desculpas sorridentes perante a invasão que continua a avançar. O que  dizem ao ocorrido? Continuarão com a gasta frase destas últimas décadas "são os novos tempos"?
 
Principalmente nas aldeias, haverá que explicar que a FESTA não é um acontecimento profano, nunca o foi, não é a "festa da terra" mas sim do santo da terra. A Festa tem o seu cume SACRO, e estende-se depois a toda a realidade humana (seja nas vestes festivas, nas comidas melhoradas, nas actividades de convívio e lazer comuns, em manifestações públicas de honra ao seu Santo, etc.). Portanto, a Festa tem primeiramente a sua realidade SACRA, e depois RELIGIOSA (esta falta de distinção hodierna entre "sacro" e "religioso" tem também levado a confusões quanto à música, etc. - assunto que ficará para outra altura).

Evidentemente, quem gravite em torno do Concílio Vaticano II não estará preparado no conhecimento destas verdades em falta, às quais parece ninguém saber acudir. Mas como travar e reverter? A situação pode, imagine-se, exigiria hoje a criação de grupos de investigação e explicação (como se aquelas necessárias verdades católicas, conhecidas tão bem por os nossos antigos tivessem sido encerradas em museu por pudores ideológicos (ideologices erradas, já mortas desde o dia do "nascimento"; tivessem tido primeiro o funeral, e depois o nascimento fingido). Etc. etc. etc...

Campo Maior tem, isso sim, um "arraial sem Festa"; continuando a Festa a ser a de S. João, tal como sempre foi.

Aos leitores estrangeiros recordo que aquilo que verão mais para o final do vídeo é uma boa decoração das Festas.

(a continuar)

Assim, esvaziado o conteúdo, e mantida de certa maneira a forma exterior, o mundo Cristão a caminhar para uma Disneyland...

31/07/17

VISITAR PORTUGAL - Lamego - Santuário (IX)

(anterior, Óbidos)
 
Hoje vamos a Lamego; mas não todo, porque ficámos detidos na grande maravilha que é o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.


 
Contudo ... não nos resta outra alternativa que a obrigação de condenar a profanação do templo, por haver turismo dentro do espaço sagrado das capelas do templo. E a isto parece soar a voz da opinião geral do nosso tempo "mas então, é assim em quase todas as igrejas apetecíveis ao turismo... é assim mesmo, é normal" ... é quase normal, ou seja, norma, e é assim mesmo que acontecem profanações (é assim, e não apenas).

Tratem os Bispos de estudar o assunto tendo em conta os antigos livros, que era aos antigos que estes cuidados interessava gravemente, e tomem medidas; porque se não as tomam, juntam-se aos "sacrilégios" o agravo das "indiferenças com que Ele hoje é ofendido". E parece-me ouvir outra voz de um tradicional católico dizer-me "escreva também que hoje grande parte dos templos estão já profanados"; e eu respondo "neste momento não me apetece dizer que é verdade".

(continuação, Campo Maior)

26/07/17

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CDXXIII

UMA IMAGEM - CONCÍLIO VATICANO II

Foto da Praça de S. Pedro, a 11 de Outubro de 1962, por ocasião do Concílio Vaticano II: uma multidão de católicos, o aparato, a iluminação das velas que passavam seguras nas mãos esperançosas ... Mas a obra gigantesca que o Concílio representou não parou ainda de nos surpreender com as suas consequências.
 

25/07/17

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CDXXII

NA SERRA ALTA - HONRAR OS SUPERIORES LGÍTIMOS

D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, Venerável da Santa Igreja
 
"Porque os nossos legítimos reis são nossos legítimos superiores, os nossos antigos tiveram virtude católica de honrá-los, desconfiando prontamente das teses adversas. (...) Eis um mau costume liberal lentamente assimilado pós victória liberal, eis um pecado mortal ao qual só a ignorância e a confusão poderão livrar de culpabilidade: tratar os nossos Reis legítimos com soberba, igualdade, desdém, juízo temerário, rebeldia, e outras posturas vis que, em outros tempos equivaleriam a uma debandada para o exército inimigo."
(na serra alta - J. Antunes)

09/07/17

MODERNISMO - A DEFINIÇÃO É NECESSÁRIA E URGENTE

O modernismo aplica-se e desdobra-se a várias áreas, como seja à filosofia, teologia, sociologia, artes em geral etc.. tomando depois cada qual certo rumo próprio.
 
O blog ASCENDENS insiste que a definição de MODERNISMO é VITAL na Igreja, e era urgente. A indefinição tem feito estragos incalculáveis entre os católicos: uns porque atacam o "modernismo", outros porque dizem não ser "modernistas", outros porque querem olha o modernismo parcelarmente, outras diversas coisas. É um assunto sério, e não há tempo para melindrices.
 
Ao longo dos anos demos indícios e clarificações sobre o MODERNISMO (embora, por prudência e receio nunca tenha sido feito artigo ou obra acabada), esse problema fundamentalmente ONTOLÓGICO; também sobre o problema da volatilidade do conceito no uso, sintoma do mesmo modernismo.
 
O perigo de não saber o que é MODERNISMO e combater o "modernismo" é real,e cada vez será mais notório. O perigo de não saber o que é MODERNISMO e sem saber motivo válido colocar-se fora dele é um problema, que acontecerá cada vez mais. SIM. Não receamos dizer que não poucos que se dizem tradicionalistas são meros "modernistas-conservadores" (havemos de explicar isto melhor, porque poderá parecer contraditório).

Eu, autor deste blog, conheço várias "regiões" da Igreja, o seu clero (vida e formação); falo de algo que conheço de dentro, por décadas, e desde tenra idade, quando me refiro a "modernismo". A literatura respeitante serviu-me mais de complemento, afinação, e confirmação. Da própria pele me sai que: HÁ QUE SABER DEFINIR MODERNISMO, sim , MAS que tal exercício não pode ser feito sem GRANDE PERIGO (porque muitos que se dizem inimigos do modernismo estão mais em situação de ter de corrigir-se, e não poderia acontecer que tentassem uma "definição" que os sirva, piorando ainda mais a situação actual). Da nossa parte, sempre acusámos o que hoje aqui mostramos, sempre dissemos haver confusão de conceitos etc... somos insuspeitos.
 
A visão ONTOLÓGICA é um dos melhores antídotos contra o modernismo, mas sem intelectualismos demasiados, e mais com sentido pratico do olhar do dia a dia.
 
Pois bem ... a quem por esse tempo aqui e em outros lugares fechou os olhos a tal apelo nosso, cá vai:

"O modernismo foi um erro combatido a seu tempo. Ainda hoje influencia certa teologia. Mas, não tem o menor sentido viver numa cruzada paranoicamente anti-modernista! Acusam de modernismo grandes teólogos do século XX, como Henri de Lubac e Yves Congar e denigrem a memória do grande teólogo Hans Urs von Balthasar! Todos esses teólogos eminentes e santos, apesar de serem somente padres, foram feitos cardeais por João Paulo II Magno e são queridíssimos de Bento XVI. Quanto a de Lubac, Ratzinger o considera um de seus mestres! Será que João Paulo II e Bento XVI são hereges modernistas? Ou será que são ignorantes tolos, que nem percebem o perigo desses teólogos? " (artigo de D. Henrique da Costa, 29 de Dezembro de 2008 ainda como Cónego, publicado ainda no seu site pessoal)
 
Chocante? Para alguns será, para outros quase, e para outros estará tudo em conformidade.

Como é mau ter título de "modernista", ninguém o quer ter; como é moda o título de "tradicionalista", muitos o querem. Há que ter esta realidade em grande conta, e reflectir seriamente.

"PADRE SUMMORUM PONTIFICUM" ?

 
Faz tempo significativo que temos acompanhado um dos casos aos quais não sabemos dar nome; porque ainda ninguém parece ter-se atrevido a dá-lo. Que nome dar aos Padres que seguem exclusivamente a Missa tradicional (como os restantes sacramentos), e doutrina tradicional selecionada (removendo-lhe o que fere a obrigatoriedade pós-conciliar)? Porque a pedra fundamental invocada por estes foi o Summorum Pontificum, e porque não podem ser considerados tradicionalistas, chamemos-lhes "padres summorum pontificum" [quem tiver melhor nome, diga].
 
Qual o motivo de nunca ninguém se ter lembrado de dar nome a estes casos, ou se há nome para eles não é conhecido por nós sequer? Porque estes poucos casos, crescentes, não são estimados: envergonham a uns, e são apenas tolerados pelas autoridades, que se servem deles para satisfazer aquilo que consideram ser uma das "modalidades católicas" agora em moda.
 
Caros leitores, existem hoje estes padres summorum pontificum, e trazemos hoje o caso de um deles, do qual não queremos dar nome nem lugar (há terceiros em causa). É muito provável que deste caso façamos mais artigos a este complementares, os publiquemos aqui, se não forem antes em algum do nosso ciclo de blogs amigos.
 
Este Senhor Padre summorum pontificum costuma apenas dos usos sacramentais antigos, funciona em templo grande e destinado pela paróquia, tudo em total sintonia com o Bispo Ordinário do lugar. Portanto, quem na paróquia quer participar na missa segundo Missal de Paulo VI vai a um lado, e quem quer assistir à Missa segundo o Missal de João XXIII vai a outra (e quem quer ir às duas, esteja à vontade).
 
Segue ele o Concílio Vaticano II? Não propriamente (quem é que o segue realmente!?), mas segue as directivas incontornáveis do "magistério pós conciliar". Além de incluir o Catecismo de S. Pio X nos vários livros recomendados, e livros escritos por santos, outros há que estão em linha incompactível (não tão pronunciadamente que a maioria dos fiéis saiba distinguir).
 
"Se houver por aí exagerados [tradicionalistas] de mentalidade antiquada pode acontecer que fiquemos todos sem sacramentos, sem esta missa. É isso que querem?". Existe este aquele tipo de jogo injusto contra os raros fiéis que se dão conta dos erros e comentam algo: ficam colocados sob o olhar da restante comunidade que lhe diz "calai-vos, ou ficamos sem missa por culpa dos vosso exageros". A preocupação e tentativa de abordagem de um problema real e maior, como se vê, acaba por ficar mascarado de problema subjectivo incómodo à comunidade (é esta corporação no mal e na mentira ainda mais grave pela circunstância, e que entra na marcha de fazer dos Meios ordinários da graça os fins). Os sermões de considerações vagas e veladas contra os fiéis mais lúcidos (os "ameaçadores") acaba por acender na alma dos restantes fiéis gradual inquietação e incógnita, que, mais tarde ou mais cedo, acabarão por equivocadamente encontrar pouso naqueles fiéis alvo.

O próprio manifestou em sermões que aquela comunidade não é tradicionalista, que trata-se de um movimento de pastoral diferente, porque todos na Igreja somos diferentes, e que por isto mesmo há movimentos diferentes na Igreja. Este Padre summorum pontificum quer agradar à autoridade, porque depende disto para viver (provavelmente não quereria ou conseguiria voltar à nova Missa), e não admira que agora mais recentemente tenha até negado o nome "tradicionalista".
 
Pelo que temos acompanhado durante aproximadamente 2 anos, o percurso desta história sempre a descer, mas sempre a subir quanto ao número de fiéis.
 
Este fenómeno não é em Portugal; não há em nossa escrita coisa alguma irreal neste caso e que não tivesse sido moderada previamente. O que aqui está é um resumo, e contamos fazer mais artigos a este respeito.

Eis um assunto que nos diz a todos, e urge também reflexão pessoal ao respeito.

Aguardemos mais notícias.

06/07/17

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CDXIX

CONTINUAÇÃO DA "A CASA SEM SARTO, NOVAMENTE?"

 
O Miles, autor do blog A CASA DE SARTO à nossa contestação já reagiu (aqui), agora menos doce, mas mais directo.
 
Que motivos tem o Sarto (assim lhe costumamos chamar) contra o blog ASCENDENS? Vejamos pela lista de possibilidades (não dispostas em rigor cronológico, tudo isto é público):
 
- Era 2008, em dado contexto, na caixa de mensagens do blog A CASA DE SARTO chamei-o "modernista"; acrescentando a minha disponibilidade para dar explicação de tal afirmação (esta caixa de mensagens foi recentemente apagada).

- O blog ASCENDENS enviou ao A CASA DE SARTO um pedido para remoção da ligação do nosso blog daquela lista de blogs. O motivo apresentado foi o de certa incompatibilidade, e de alguma contradição de pensamento, ainda que ilustrado de muitos afamados autores.

- O A CASA DE SARTO redigiu um artigo no qual atacou gratuitamente a Mons. Fellay (FSSPX), violentamente reactivo, não apresentando necessárias razões objectivas! A surpresa e indignação levou à reacção de alguns seus leitores acostumados, e espalhou-se ao mundo tradicionalista internacional; o site PERMANÊNCIA redigiu reprimenda, e outros houve em língua espanhola. De forma breve e pouco assinalada o blog ASCENDENS também manifestou surpresa e descontentamento.
 
- Da parte de cá, até 2011, nada de mais houve a assinalar; até que surgiu um pequeno debate a respeito da Igreja/escravatura, no qual, convenhamos dizer, o Sarto ficou refutado na sua posição por apostar na opinião comum, a qual eu conhecia bem, e que, por isso, nela tinha encontrado os erros que me tinham levado já à publicação de fontes e artigos das matérias.
 
- Por ocasião de uns comentários no VERITATIS, diante do mesmo Sarto, e perante a posição que tomou, critiquei o vínculo demasiado forte entre o A CASA DE SARTO e a "linha espanhola", e também o critério, ou falta dele, para distinção de matérias.
 
Assim foi até ao dia de ontem. Não parece nisto haver motivos para o autor do A CASA DE SARTO insistir contra o autor do blog ASCENDENS, sendo que nunca nos enviou críticas ou recomendações, ou pedidos de esclarecimento; o que não significa que não o tenha feito e dirigido a outros, ou em lugar por nós não acostumado... ou orquestrado outros intentos que nos tivessem chegado ao conhecimento em Portugal, na Espanha, ou na Argentina!
 
De que mal se queixa afinal o autor do A CASA DE SARTO!?

Sarto, pare e olhe ...
O que me quer!?

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CDXVIII

NA MINHA ALDEIA - AS POLÍTICAS

Acabo de encontrar isto:


Comento, imaginando certa aldeia:

- As casas da rua x foram construídas em parte pelos próprios donos, com granito, e barro. Não havia que pedir autorizações especiais numa construção destas em terreno próprio, nem havia que pagar imposto por tal.

- Em seu terreno cada qual tinha junto da habitação espaços para animais: cavalo, burrinho, porco; não havia problema se era gente em condições que os tinha.

- Fazia-se muita troca directa, comprava-se e vendia-se aos vizinhos, sem papeladas.

- As feiras não existem porque não há que ter nelas, nem quem lá vá.

- Quase todas as casas produziam o seu vinho e água-ardente, que se guardavam nas adegas, e ofereciam aos amigos, familiares, visitas. Hoje só a medo se produz a mesma quantidade, e a aguardente-boa nova só se clandestina, ou fraca.

- A matança do porco, que pelo menos uma vez por ano era feita em quase todas as casas, à porta, ou no quintal... ainda pode existir, porque a polícia fecha os olhos.

- O mesmo queijo que os meus avós compravam para diariamente terem, hoje é luxo.

- Constata-se que, em tempos de Salazar, principalmente no Interior cada qual era senhor de suas terras, casas, animais, etc.. Hoje, ter o mesmo é privilégio, e até o que temos não é nosso: a dívida que cada país contraiu é cada vez maior, a juros tão altos, que toda a situação declara que aquilo que pensamos ser nosso já não o seja realmente.

Este foi o resultado a que a política levou, contra a Tradição que a Civilização Católica nos tinha legado; e aqui vimos apenas símbolos pequenos mas capazes.

"A CASA SEM SARTO", NOVAMENTE?


Caros leitores,

o autor do blog A CASA DE SARTO veio agora à caixa de mensagens do nosso artigo "O DRAMA - A Associação CAUSA TRADICIONALISTA" para deixar esta sentida mensagem: "Informo o "Ascendens", que tenho em consideração de grande admirador d'"A Casa de Sarto", que esta última vai voltar à actividade regular proximamente e com todas as temáticas tão ao gosto do "Ascendens"." (Miles - 05/07/2017 - 11:47); e em resposta: "...todo eu sou alegria!" (Ascendens - 06/07/2017 - 11:47). Constata-se que, por exemplo, o blog VERITATIS, o qual pertence ao nosso grupo de blogs amigos (portanto, na mesma linha), andou a ser frequentado e comentado pelo autor da A CASA DE SARTO; contudo, o VERITATIS não mereceu agora nenhuma informação como aquela que recebemos do autor. Coincide que ontem, por outras vias, tínhamos tomado conhecimento do regresso do A CASA DE SARTO e preparado este artigo:
 
cabe-nos fazer significativas aclarações, visto que foi anunciado o regresso à actividade no blog A CASA DE SARTO.
 
"Em 2008 o autor do blog ASCENDENS solicitou ao Sr. Pe. Daniel Maret (FSSPX-Portugal) que:
- fossem convocados para reunião certos blogs tradicionalistas portugueses, por haver pontos divergentes nas publicações;
- para bem da Igreja e saúde da blogosfera católica, colocassem sobre a mesa as ideias divergentes;
- que o Senhor Padre aceitasse fazer de juiz das questões disputadas, com fim à unidade e clareza para bem da Igreja.
O Sr. Pe. Daniel Maret alegou-se pela ideia, e fez tentativas junto a um ou dois blogueiros (visto que os restantes estavam por mim tratados já). Os blogues eram:
 
- A CASA DE SARTO
- ASCENDENS
- o "Agnus" (autor de vários blogs)
- provavelmente o GAZETA DA RESTAURAÇÃO etc.
- VETUS ORDO
 
O autor do A CASA DE SARTO, com quem havia mais significativa discordância, o único que costumava frequentar o edifício da reunião, foi quem resistiu à ideia. Esta reunião de blogs nunca veio a acontecer; lá se foi a possibilidade de unidade "ideológica", clareza, diálogo (até debate)."
 
Fica assim mostrada a existência de diferenças entre blogs ditos tradicionalistas em Portugal, nomeadamente entre o A CASA DE SARTO e o ASCENDENS, e  o indício dos motivos vários para a não unidade na verdade [parece que o A CASA DE SARTO só conhece a "unidade" política]. Como o ASCENDENS, outros blogs tradicionalistas portugueses não foram inspirados pelo A CASA DE SARTO para que se pudesse dizer que começaram nessa linha e divergiram dela. Não admite isso, Miles?

Mais teremos para informar.

Previmos que, desde 2017, os erros venham mais refinados que antes e apresentados e tragados como solução para outros mais óbvios e sensacionais, independentemente de culpabilidade ou inocências! O recurso à política, activismo, e ao falso argumento de autoridade são o que contra a verdade mais tememos ver ampliados.

Aguardemos, e veremos!

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CDXVII

01/07/17

PIRATARIA - RADIO CRISTIANDAD

É significativa a quantidade de desaparecimentos forçados de "motores" tradicionalistas da "linha dura".
 
Fabián Vázquez, director e voz principal da Radio Cristiandad
Se há anos a famosa Radio Convicción do Chile desapareceu por dificuldades começadas no corte radical de verbas, nestes dias aconteceu algo diferente com a Rádio Cristiandad.
 
- "A Rádio Cristiandad desapareceu", disse alguém.
 
Desapareceu!?...
 
Fomos investigar.
 
Sim, o site da Radio Cristiandad desapareceu faz alguns dias, ou melhor, foi hackeado... explicando por palavras comuns: o site existe, não pode ser encontrado online, "milagre" da pirataria informática por mão de hacker. O Site da rádio ficou controlado por um hacker. Voltará? Depende do hacker ou de quem o contratou (se foi o caso).
 
Todos estarão a pensar "para que quer um hacker um site tradicionalista?" Quem souber, diga.
 
Nas nossas investigações notámos a necessidade de esclarecer alguns aspectos históricos da Rádio Cristiandad. Eis o resumo que conseguimos:
 
D. Bernard Fellay
A Radio Cristiandad  foi fundada por tradicionalistas argentinos, depois patrocinada pela FSSPX segundo intervenção pessoal do seu Superior Geral D. Bernard Fellay. Por volta de 2008/2009, a respeito da programação musical houve desentendimentos, entre o director da rádio (Fabian Vasquez) e o então superior de Distrito da FSSPX-América do Sul (hoje superior de distrito da FSSPX França - Sr. Padre C. Bouchacurt). Depois da Rádio fazer alguma resistência às novas políticas na FSSPX, a instituição retirou-lhe os apoios etc. [não conseguimos apurar quando ocorreu, se antes, se depois]. O site da radio continuou a crescer, tal como os ouvintes do programa "Mientras el Mundo Gira la Cruz permanece", programa que tinha como protagonista central a Fabian Vasquez; o Sr. Pe. Ceriani, o qual se havia demitido da FSSPX por discordância da actual política da instituição, passou a ser procurado pela rádio para entrevistas e programas, etc.; a radio chegou ao TOP 100 mundial de sites católicos; outros padres pelos mesmo motivos saídos da FSSPX tiveram cobertura da rádio para a difusão de sermões, palestras, aulas etc.; Todo este crescente foi muito abalado pelo acidente automobilístico que colheu a vida ao actor central da rádio, o seu director (a 24 de fevereiro de 2015).
 
D. Gerardo Zendejas, o 4º Bispo da "Resistência"
Dos "herdeiros de Lefebvre", seja a actual FSSPX, sejam os que dela saíram e reuniram em torno de D. Richard Williamson, sejam estes de quem agora falamos, todos manifestaram interesse em usar o nome "resistentes". Haveria que caracterizar cada qual para situar estes de hoje. Para fins de identificação fácil, tratemos agora o primeiro por FSSPX, o segundo por "Resistência", e o terceiro pelo nome que proferiram: "inóspita trincheira". Neste conjunto a FSSPX hoje destaca-se pelas questões da legalidade em vias de ultimar com Roma, a Resistência destaca-se pela rápido crescimento sem diminuição na qualidade inicial (vai com 4 Bispos), a Inóspita Trincheira destaca-se no Pensamento Católico, apologética, Teologia etc..
 
 
MAS.... de tanta coisa, o senhor hacker interessou-se pelo site da Rádio Cristiandad!
 
Milagre de conversão!

(se houver algo a corrigir no texto, enviar mensagem)

TEXTOS ANTERIORES