08/05/14

Curiosidade - EDIÇÃO DA "IMITAÇÃO DE CRISTO"

Edição que aqui tenho da "Imitação de Cristo" (1956), e recomendo.
 

DA 18ª EDIÇÃO

"É prodigiosa a difusão deste livro que a Viúva de José Frutuoso da Fonseca soube elevar até 17 edições sucessivas, num conjunto de mais de 110.000 exemplares.

Preparava esta saudosa Senhora mais uma edição, a 18ª, quando cheia de anos e merecimentos, em 3 de Abril de 1946, Deus a chamou à eterna recompensa. Bastaria para merecer esse prémio o amor que ela consagrou à obra tipográfica da sua casa que, com numerosas publicações religiosas e morais, bem há merecido da Igreja e das almas. Mas entre todas sobressaem duas, que maior cuidado e carinho lhe mereceram: as "Horas de Piedade", chegadas à culminação de 26 edições, e a "Imitação de Cristo", anotada pelo saudoso Monsenhor Marinho, consagrada pela estima geral com 18 edições.

É muito legítimo vermos nesta difusão tão prodigiosa a intervenção do saudoso Monsenhor, que do céu continua a acarinhar a sua obra; mas não podemos deixar de pensar que a alma da saudosa Viuva a ele se foi juntar para continuação do apostolado desta obra tão sublime que, depois do livro dos Evangelhos, obteve o primado entre todos os livros de piedade e devoção.

A Casa editorial Tipografia Fonseca, L.da, a que essa Senhora consagrou o melhor da sua vida, pode esperar que ela continuará agora, melhor do que quando dirigia e orientava a sua tipografia, a velar pela sua maior prosperidade e especialmente pelos melhores amores: as duas obras, aureoladas com tão numerosas edições. (Pe. Henrique Machado). 


PARECER 

A Snr.ª D. Maria Fonseca, Viúva de José Frutuoso da Fonseca, editora e proprietária da "Imitação de Cristo", anotada por Monsenhor Manuel Marinho, vai publicar a 15ª edição deste livro e bem merece que seja recomendado. Nas edições anteriores a tiragem passou de 60 mil exemplares, o que bem mostra o valor do livro e a boa aceitação que lhe deram os católicos. A razão disto está na consagração da obra pelos séculos e nas preciosas notas que Monsenhor Marinho lhe juntou, as quais, em alguns lugares, parecem superiores aos textos originais. A vida de asceta que este ilustre sacerdote sempre teve, aparecendo só para cumprir obrigações do seu ministério, as meditações junto ao sacrário, onde, diariamente, passava horas, o confessionário, as conferências, sempre profundas, a seminaristas, o conhecimento dos Santos Padres e Doutores da igreja, a sólida ciência das coisas divinas, a que, zelosamente, se consagrava e uma longa experiência - tudo isto contribuiu para os sublimes comentários que M. Marinho juntou aos diferentes capítulos da "Imitação de Cristo".

O livro merece, pois, a mais completa aprovação e intensa propaganda. Esta é a primeira edição depois da morte do zeloso e ilustrado sacerdote, falecido em 8 de Janeiro de 1933, e será ainda a sua alma que mais contribuirá para a maior propaganda do precioso livro.

Seminário de N.ª S.ª da Conceição, 15 de maio de 1936.


PREFÁCIO DA 13ª EDIÇÃO
(Distanciada da primeira trinta anos)
1901 - 1931

Graças à misericórdia divina, ainda nos é dado, aos sessenta e oito anos de idade, rever esta nova edição! Quantos milhares de volumes se têm lançado à publicidade? À falta de apontamentos relativos às quatro primeiras edições, não podemos determinar o número exacto. (1) É certo que a 5ª e a 6ª edição foram de 2.000 cada uma; a 7ª, 8ª e 9ª de 5.000; a 10ª de 10.000; a 11ª de 6.000 e a 12ª de 7.000. Suponho que as quatro primeiras fossem de 2.000, temos um total de 50.000 exemplares.

Eis os termos em que há 30 anos foi solicitada e obtida a aprovação:

Ex.mo e Rev.mo Snr.

O Editor Católico, José Frutuoso da Fonseca, propondo-se publicar uma nova edição da Imitação de Cristo, confontada com o texto latino pelo Rev.mo Sr. Padre manuel Marinho,

pede a V. Ex.ª Rev.ma que, precedendo o parecer do Ex.mo e Rev.mo Snr. Dr. Cónego Coelho da Silva - a quem pedirá tal obséquio - se digne aprovar e indulgenciar a leitura de cada capítulo da mesma.

E. R. M. 

Como pode, logo que junte paracer do Rev. Cónego Dr. Coelho da Silva.
Porto, Paço Episcopal, 22 de Fevereiro de 1901.
+ ANTÓNIO, Bispo do Porto.


PREFÁCIO

Li Atentamente esta nova edição da Imitação de Cristo.

O que é a Imitação de Cristo, um dos livros mais admiráveis, se não o mais útil e amdmirável saído das mãos dos homens, não é para aqui dizê-lo.

Quanto à nova tradução e notas, o nome do Rev.mo Padre Marinho é garantia segura de que esta obra é uma das mais perfeitas. Efectivamente a tradução foiconfrontada com o texto latino, é fiel, concisa e inteligível para todos.

As notas, que acompanham os capítulos, são tais que algumas vezes parecem exceder a toda a obra. (2)

Porto, 10 de Abril de 1901.

Cónego Coelho da Silva.

Em virtude do parecer favorável dado pelo Rev. Cónego Dr. Coelho da Silva, aprovamos esta edição da "Imitação de Cristo", e concedemos 40 dias de indulgência pela leitura de cada capítulo.

Porto e Paço Episcopal, 11 de Abril de 1901.

+ António, Bispo do Porto.

Soli Deo honor e gloria.

Foz do Douro, 21 - 2 - 1931

P. Manuel Marinho


APROVAÇÃO E INDULGÊNCIAS

Louvamos o empenho como José Frutuoso da Fonseca procura difundir a Imitação de Cristo por ele editada pela terceira vez; pois que este livro de ouro é, a meu ver, o que há de melhor, depois que este livro de ouro é, a meu ver, o que há de melhor, depois da Escritura Sagrada; nem ele é outra coisa, senão o constante e suavíssimo eco da "Palavra divina", onde o autor se inspirou, fosse ele Gerson ou o nosso Santo António, como hoje não poucos pretendem.

Quem jamais procurou neste mavioso livro alivio aos seus desgostos, que o não encontrasse. Daqui a razão de tão repetidas edições da Imitação de Cristo, em quase todas as línguas, e de a encontrarmos em todas as mãos piedosas.

Vai esta 3ª edição aumentada no fim com o resumo da doutrina cristã, que a torna mais apreciada. Autorizamos pois a sua publicação, e muito a recomendamos aos nossos amados diocesanos, concedendo cem dias de indulgência a quem quer que leia em cada dia um capítulo.

Lisboa, 15 de Fevereiro de 1906, - J., Cardeal Patriarca.
______


Atendendo ao que nos foi pedido pelo editor católico, da cidade do Porto, José Frutuoso da Fonseca, aprovamos a novíssima edição da Imitação de Cristo, traduzida e anotada por Monsenhor Manuel Marinho; e concedemos cem dias de indulgência a todos os Nossos subditos por cada vez que lerem um capítulo deste precioso livro.

Paço de Braga, 20 de Fevereiro de 1906 - +MANUEL, Arcebispo Primaz.
______ 


Tendo-Nos sido requerido, que aprovemos a novíssima edição do edificante, instrutivo e formosíssimo livro com o título de Imitação de Cristo, vertido em língua portuguesa, e anotado por Monsenhor Manuel Marinho, e editado pelo esclarecido editor José Frutuoso da Fonseca - da cidadde do Porto; e atendendo a que uma obra de tão subido valor, já aprovada pelo Ex-mo e Rev.mo Sr. Bispo do Porto, oferece e proporciona as máximas vantagens em ordem à salvação das almas, e em proveito dos interesses religiosos e sociais; Havemos por bem dar-lhe a Nossa aprovação e indulgência, por cada capítulo que nela lerem com devota piedade.

Faro, 17 de Fevereiro de 1905. - + ANTÓNIO, Arcebispo-Bispo do Algarve.
_______


Anuindo de boa vontade ao pedido do benemérito editor católico José Frutuoso da Fonseca, aprovamos e recomendamos aos nossos diocesanos a nova edição da Imitação de Cristo, confrontada com o texto latino e anotada pelo Rev.mo Mons. Manuel Marinho, já aprovada e indulgenciada pelo Ex.mo e Rev.mo Snr. Bispo do Porto, Ordinário local; e concedemos cinquenta dias de indulgência, pela leitura atenta de cada capítulo e respectiva nota.

Évora, Paço Arquipiscopal, 19 de Fevereiro de 1906 - + AUGUSTO, Arcebispo de Évora.
________


Correspondendo ao desejo do esclarecido e zeloso editor católico - José Frutuoso da Fonseca - aprovamos e indulgenciamos, concedendo cinquenta dias de indulgência pela leitura de cada capítulo, a novíssima edição da Imitação de Cristo, vertida e anotada por Monsenhor Manuel Marinho.

Se Fontentele afirmou sem hipérbole ser a Imitação de Cristo, o livro mais belo saído das mãos dos homens, pois que o Evangelho tem origem divina; eu creio poder afirmar sem hipérbole também ser esta uma das melhores versões que desde 1193, época da primeira, se têm feito em português, atentas as sábias anotações com que o ilustríssimo tradutor a enriqueceu, motivo porque muito a recomendamos aos nossos amados diocesanos.

Guarda, 20 de Fevereiro de 1906. - + MANUEL Arcebispo-Bispo da Guarda.
_______


Aprovamos a novíssima edição da Imitação de Cristo, que bem se pode chamar um livro de ouro; e louvado o zelo do ilustrado editor católico, concedemos quarenta dias de indulgência à pessoa que ler qualquer capítulo.

Portalegre, 23 de Fevereiro de 1906. - + GAUDÊNCIO, Arcebispo-Bispo de Portalegre.
_______


... Sr. - Recebi a sua carta e um exemplar da Imitação de Cristo, traduzida e anotada pelo Sr. Pe. Marinho.

Conheço bem este livro que todos, e muito especialmente os sacerdotes, devem ler e meditar. Por isso o aprovo e recomendo, concedendo cinquenta dias de indulgência pela leitura de cada capítulo.

Angra, 20 de Janeiro de 1905. - + JOSÉ, Bispo de Angra.
_______


De bom grado aprovamos a edição terceira do primoroso livro - Imitação de Cristo - obra utilíssima, quanto recomendável aos fiéis devotos, porque o seu autor teria recebido o influxo sobrenatural do Divino Espírito por moção pia, tais são as consolações que oferece à nossa alma; e porque é perfeita a tradução do texto latino, e são valiosas as notas de Monsenhor Manuel Marinho que o acompanham: Concedemos cinquenta dias de indulgência aos nossos fiéis diocesanos por cada dia em que fizerem leitura deste livro, ou atentamente o ouvirem e ler.

Quinta da Cruz, 20 de Fevereiro de 1906. - JOSÉ, Bispo de Bragança.
_______


Aprovamos esta edição da Imitação de Cristo e concedemos cinquenta dias de indulgência pela leitura de cada capítulo.

Funchal, 16 de Dezembro de 1905. - + M. Bispo do Funchal.
_____


Aprovamos e recomendamos a edição da Imitação de Cristo, confrontada com o texto latino e anotada por Mgr. Manuel Marinho, novamente publicada pelo editor católico do Porto, Sr. José Frutuoso da Fonseca; e concedemos cinquenta dias de indulgência a quem ler ou ouvir ler com atenção e devoção cada capítulo, ou pelo menos meditar algum tempo sobre a epígrafe e respectiva nota do mesmo capítulo.

Lamego, 18 de Fevereiro de 1906. - + FRANCISCO JOSÉ, Bispo de Lamego.
______


A nova edição da Imitação de Cristo, há pouco publicada pelo digno editor católico, José Frutuoso da Fonseca, mereceu já, e com toda a justiça, a aprovação do Venerando Bispo do Porto.

E também Nós lha concedemos ao ver o fruto a esperar da sua leitura e da sua meditação, por ser um livro precioso e um dos mais admiráveis, senão o mais admirável, saído das mãos do homem.

Por tão justificado motivo, e ainda pelas notas instrutivas de que a fez acompanhar o seu ilustrado tradutor, não podemos deixar de encarecê-la e recomendá-la aos fiéis da nossa Diocese, a quem concedemos quarenta dias de indulgência pela leitura que fizerem de cada capítulo do mesmo livro.

Viseu, 2 de Março de 1906. - + JOSÉ, Bispo de Viseu.

Sem comentários:

TEXTOS ANTERIORES